Pylon

Höchst, Áustria | julho 2022

A Blum encerra o exercício econômico com um faturamento de 2,6 bilhões de euros

A demanda por ferragens da fabricante austríaca continua estável

A especialista em ferragens de Höchst fecha o exercício econômico de 2021/22 em 30 de junho de 2022 com um aumento de vendas de 11,2%. Esse número corresponde a um aumento de 266 milhões em relação ao ano anterior. Apesar da situação econômica tensa, a demanda por cozinhas e móveis permanece em um patamar elevado. Mais de 9.422 colaboradores já estão empenhados em ser uma parceria confiável para clientes internacionais da Blum.

 

O último exercício econômico foi outro bom ano para fabricantes de cozinhas e móveis. “A tendência homing, moradia e mobiliário também teve alta procura pelos consumidores no ano passado. A demanda por ferragens se estabilizou em um nível alto e estável”, informa Philipp Blum, diretor executivo da Julius Blum GmbH, sobre o desenvolvimento do setor. No último exercício econômico, a empresa familiar de Vorarlberg alcançou um volume de vendas do grupo de 2.643,65 milhões de euros, aumentando o faturamento para 266 milhões. “Mais um ano econômico desafiador ficou para trás com a pandemia do corona em andamento e a guerra na Ucrânia. Estamos ainda mais satisfeitos com o aumento de vendas de 11,2 %”, explica Philipp Blum. No contexto dessas situações excepcionais em todo o mundo, no entanto, os resultados devem ser vistos de forma diferente. Os preços das matérias-primas subiram muitas vezes, assim como os custos de transporte. “O crescimento das vendas deste ano é baseado em parte nos aumentos de volume e, por outro lado, nos ajustes de preços necessários que tivemos que fazer devido aos enormes custos adicionais”, diz o diretor executivo. A empresa familiar também registra um aumento de 644 colaboradores - em todo o mundo, mais de 9.422 colaboradores trabalham para a Blum todos os dias, dos quais 6.981 na Áustria.

Desenvolvimentos dos mercados internacionais

Na Europa Ocidental o aumento foi novamente grande, particularmente na Itália, Alemanha e Reino Unido, enquanto na Europa Oriental os desenvolvimentos políticos tiveram um efeito amortecedor nos mercados. “A guerra agressiva da Rússia na Ucrânia tem causado sofrimento indescritível às pessoas dali e nos tem deixado chocados desde fevereiro. Esta guerra no centro da Europa está abalando a paz e a estabilidade internas em seus próprios alicerces. Mesmo que nossos colegas da sucursal ucraniana estejam indo bem, dadas as circunstâncias, ainda estamos em constante preocupação”, relata Philipp Blum. O lockdown em Xangai e outras cidades chinesas na primavera de 2022 desacelerou o crescimento na China: “Nossos clientes foram duramente atingidos. Apesar disso, o mercado de vendas na Ásia tem se desenvolvido bem no geral”, esclarece Philipp Blum. Os negócios também foram satisfatórios na América do Norte e do Sul. No entanto, as rotas de transporte internacional apresentaram desafios à empresa. Ele explica: “Estes incluem rupturas causadas pela guerra na Ucrânia, a escassez global de contêineres de carga, caminhões e motoristas. A cadeia de suprimentos ainda está apertada em todo o mundo.” A empresa está satisfeita com a situação de pedidos e permanece cautelosamente otimista sobre os desenvolvimentos futuros. “É gratificante que tenhamos conseguido reduzir significativamente os prazos de entrega de muitos grupos de produtos nos últimos meses, expandindo nossas capacidades de produção e empregando pessoal adicional”, informa o diretor executivo.

Investimentos do Grupo Blum

Com investimentos nas fábricas de Bregenz, Höchst e Gaißau, entre outras – num total de 224 milhões em Vorarlberg – a Blum reforça sua localização principal. “Aqui desenvolvemos produtos e processos de fabricação, aqui surge a maior parte de nosso valor agregado”, diz o diretor executivo Martin Blum. E enfatiza: “Para superar os desafios da cadeia de suprimentos global e reduzir a pegada ecológica, continuamos a expandir a rede de produção global – na Europa e internacionalmente.” Um marco importante nesse sentido é a conclusão da nova fábrica em Xangai. As primeiras instalações já foram realocadas e desde o início de abril a Blum vem montando dobradiças para o mercado local. A fabricante de ferragens também terá espaço adicional de produção em sua subsidiária na Polônia a partir de 2023. O volume total de investimentos para o exercício econômico passado é de 339 milhões. Um dos investimentos mais importantes para Martin Blum é em pessoal qualificado. “Com 400 aprendizes em todo o mundo, dos quais 363 em Vorarlberg, e a formação contínua dos nossos colaboradores, contrabalançamos a falta de colaboradores qualificados.” Colaboradoras e colaboradores motivados, empenhados e qualificados são um dos fatores de sucesso mais importantes para a Blum. “Ao conquistarmos mais um ano juntos, isso definitivamente nos levou ao limite do que é resiliente como organização, o que só é possível com uma equipe extraordinária”, acredita Martin.

Inovações

O número novamente muito grande de visitantes da EuroCucina em junho, em Milão, mostrou a necessidade de troca pessoal e o interesse pelos produtos e tendências de design. O sistema Pocket REVEGO oferece novas possibilidades de composição para espaços e foi fortemente representado entre os clientes da Blum. A fabricante de ferragens está confiante na comercialização deste novo produto. O mesmo para o seu mais recente sistema box MERIVOBOX – com poucos componentes, esta plataforma possibilita variantes versáteis de extensões com o mesmo processamento e montagem. No âmbito dos sistemas de portas de elevação, estão prestes a serem introduzidas no mercado tanto a nova família AVENTOS top com inúmeras novas funções como a solução de ferragem integrada AVENTOS HKi para móveis voltados ao design. A empresa familiar de Vorarlberg vê um grande potencial para soluções de ferragens inovadoras também no futuro.

Segurança energética – Soluções de longo prazo

Como empresa produtora, a Blum faz parte de uma longa cadeia de suprimentos internacional. Muito embora as dependências diretas do gás natural sejam gerenciáveis, as indiretas, tais como as de produção de aço, são de grande dimensão. Por isso, uma eliminação a curto prazo de combustíveis fósseis não é possível. “Nossos esforços de sustentabilidade são de longo prazo. Independentemente da situação atual em relação ao gás, já estamos usando há anos em nossas fábricas em Dornbirn alternativas sustentáveis, tais como energia hidrelétrica, aquecimento urbano, recuperação de calor na produção e em instalações fotovoltaicas”, informa Martin Blum. Somente em Vorarlberg estão instalados mais de 1.800 m2 de coletores solares. Cerca de metade da frota de caminhões para transporte interno das fábricas em Vorarlberg é movida a biogás doméstico e, portanto, quase neutra em CO2. “Somos um membro fundador da aliança de neutralidade climática 2025 'turn to zero' e nos comprometemos a tornar a pegada ambiental corporativa neutra em relação ao clima”, finaliza o diretor executivo.

Perspectivas para o próximo ano

A empresa familiar de Vorarlberg vem observando com preocupação o alto nível de inflação e os contínuos aumentos de preços no dia a dia. “Atualmente, as pessoas estão pensando cuidadosamente sobre em que vão gastar seu dinheiro. A situação frágil das cadeias de abastecimento internacionais e da logística de transporte, bem como a forte flutuação dos preços das matérias-primas, também continuam a ser um desafio”, diz Philipp Blum. Mais do que nunca, é necessária a resiliência e flexibilidade de toda a empresa para poder reagir às crises, aprender com elas e continuar se desenvolvendo. Isto é de importância crucial para sobreviver em tempos voláteis. “Esta é a única maneira de permanecermos uma parceira confiável – para nossos clientes e colaboradores”, finaliza ele.

Philipp Blum, diretor executivo

Martin Blum, diretor executivo

Fábrica 2 em Höchst, sede do Grupo Blum

O Grupo Blum encerra o exercício econômico 21/22 com um volume de vendas de 2.643,65 milhões de euros